Estratégias Argumentativas: A argumentação eficaz

0
127

A arte da argumentação desempenha um papel fundamental em nossa vida cotidiana, desde as discussões informais até os debates mais estruturados em contextos profissionais ou acadêmicos. Dominar as estratégias argumentativas é essencial para expressar nossas ideias de maneira convincente e influenciar outras pessoas e alcançar nossos objetivos de comunicação. Neste artigo, exploraremos algumas estratégias argumentativas eficazes que podem ser aplicadas em diversas situações, desde debates formais até conversas informais.

Leia também: Aplicação das Normas Jurídicas: Silogismo Jurídico

Estratégias Argumentativas

Declarações baseadas em provas concretas

Ao construir um argumento, é importante basear nossas declarações em provas concretas. Em vez de fazer afirmações vagas ou generalizações amplas, devemos fornecer fatos e exemplos específicos para sustentar nossas ideias. Essa abordagem fortalece nossos argumentos, pois nos apoiamos em informações verificáveis e confiáveis. Ao fundamentar nossas declarações em provas concretas, estamos mais propensos a convencer nosso público-alvo.

Exemplo: “De acordo com um estudo recente publicado na revista científica Nature, a taxa de desmatamento na Amazônia aumentou em 25% nos últimos cinco anos.”

Repetição e acumulação de detalhes

Outra estratégia argumentativa eficaz é a repetição e acumulação de detalhes relevantes. Ao repetir pontos-chave e fornecer mais detalhes sobre eles, estamos enfatizando sua importância e facilitando a compreensão por parte do público. Além disso, a acumulação de detalhes relevantes cria uma sensação de robustez em nosso argumento, mostrando que consideramos diferentes aspectos do assunto em questão.

Exemplo: “O projeto possui uma equipe altamente qualificada, composta por engenheiros, designers e arquitetos. Além disso, já foram investidos mais de 1 milhão de reais em pesquisa e desenvolvimento, garantindo a qualidade e inovação do produto.”

Leia também: A Importância da Linguagem Jurídica

“Uma argumentação eficaz é a que consegue aumentar a
intensidade da adesão, de forma que se desencadeie nos
ouvintes a ação pretendida ou, pelo menos, crie neles uma
disposição para a ação, que se manifestará no momento
oportuno”.

Declarações evidentes por si mesmas

No argumento por evidência, pretende-se levar o auditório a admitir a tese ou conclusão [C], justificando-a por meio de evidências [J] de que ela se aplica aos dados [D] considerados.

Exemplo: De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílio (PNAD) de 2008, o telefone, a televisão e o computador estão entre os bens de consumo mais adquiridos pelas famílias brasileiras [D]. Esses dados mostram que boa parte desses bens de consumo está ligada ao desejo de se comunicar [C]. A presença desses três meios de comunicação entre os bens mais adquiridos pelos brasileiros é uma evidência desse desejo [J].

Argumento de autoridade

Recorrer a especialistas ou autoridades no assunto em discussão é uma estratégia argumentativa conhecida como argumento de autoridade. Ao citar especialistas respeitados, acadêmicos renomados ou pessoas com experiência relevante, estamos reforçando a validade de nossos argumentos. O argumento de autoridade é especialmente útil em contextos onde a credibilidade e a expertise são valorizadas, como debates acadêmicos ou discussões técnicas.

Exemplo: “De acordo com o renomado psicólogo Dr. John Smith, a terapia cognitivo-comportamental é altamente eficaz no tratamento da ansiedade.”

Declarações que fogem ao domínio puramente racional

Em alguns casos, a argumentação pode envolver elementos que vão além do domínio puramente racional. Declarações emocionais, anedotas pessoais ou exemplos metafóricos podem desempenhar um papel importante na persuasão de um público. Ao adicionar elementos que evocam emoções ou apelam para a imaginação, podemos criar uma conexão mais profunda com nossos ouvintes ou leitores, tornando nosso argumento mais envolvente e memorável.

Exemplo: “Imagine um mundo onde todas as pessoas tenham acesso à educação de qualidade. Isso não apenas transformaria a vida individual, mas também teria um impacto positivo na sociedade como um todo.”

“Argumentar significa tecer argumentos, aduzir os raciocínios que constituem uma argumentação”.

Níveis de abstração

A escolha das palavras não pode ser neutra

Ao discutir estratégias argumentativas, é crucial reconhecer que a escolha das palavras que usamos não é neutra. Cada palavra carrega conotações e significados que podem influenciar a percepção e interpretação de nossos argumentos. Devemos ser cuidadosos ao selecionar o vocabulário adequado para expressar nossas ideias de forma clara e precisa, evitando termos ambíguos ou carregados de viés.

Interrogação

A utilização de perguntas é uma estratégia argumentativa eficaz para envolver nosso público e estimular o pensamento crítico. Ao fazer perguntas bem formuladas, podemos direcionar a atenção do público para pontos específicos de nosso argumento e incentivá-los a refletir sobre as questões levantadas. As perguntas também podem criar um senso de diálogo e interação, tornando a argumentação mais dinâmica e envolvente.

Exemplo: “Como podemos esperar um futuro sustentável se continuarmos a ignorar os efeitos das mudanças climáticas em nosso planeta?”

A interdeterminação nominal e pronominal

Pode revestir os enunciados de um caráter mais objetivo, concedendo maior credibilidade aos argumentos; o emprego da interminação ou da terceira pessoa indefinida geralmente relativiza a responsabilidade do sujeito criando uma distância entre o que é dito e aquele que fala.

Argumentação

Argumentação Pragmática

O argumento pragmático é aquele que permite considerar um ato ou um acontecimento de acordo com suas consequências favoráveis e desfavoráveis. Para certos teóricos, esta categoria de argumentos tem papel tão relevante na argumentação que pretenderam elevá-la à condição de esquema único da lógica dos juízos de valor.

Argumentação jurídica

Na esfera jurídica, a argumentação assume uma importância ainda maior. A argumentação jurídica é a base do sistema legal e desempenha um papel fundamental na tomada de decisões judiciais. Os advogados devem empregar uma ampla gama de estratégias argumentativas para persuadir juízes e júris, como o uso de precedentes, análise lógica, citação de leis e a apresentação de provas convincentes. A argumentação jurídica exige um domínio cuidadoso das técnicas argumentativas e uma compreensão profunda do contexto legal.

Leia também: Excesso da Linguagem Jurídica: Juridiquês

Normalmente associamos o verbo “argumentar” ao ato de
convencer, de persuadir. Além disso, somos capazes de julgar a
qualidade dos argumentos, levando em conta diferentes fatores como
as relações do argumento como o contexto, o sistema de valores
éticos, políticos ou morais que o determina o encadeamento lógico
entre os enunciados da argumentação.

Celso Pagnan

Conclusão

Dominar as estratégias argumentativas é fundamental para alcançar uma argumentação eficaz em diversas situações. Ao utilizar provas concretas, declarações baseadas em fatos, repetição e acumulação de detalhes, declarações evidentes por si mesmas, argumentos de autoridade e elementos que vão além do domínio puramente racional, podemos fortalecer nossos argumentos e influenciar positivamente nosso público. Além disso, considerar os níveis de abstração, a escolha das palavras, a interrogação e a interdeterminação nominal e pronominal enriquecem nossa argumentação.

Por fim, a argumentação pragmática e a argumentação jurídica destacam a importância da adaptação ao contexto e do conhecimento especializado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui