Teoria do Direito Tridimensional (Miguel Reale)

1
523

A Teoria do Direito Tridimensional, proposta pelo jurista brasileiro Miguel Reale, é uma das mais importantes e influentes teorias do direito da história.
Essa teoria foi desenvolvida no final da década de 1950 por Miguel Reale, professor de Filosofia do Direito na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. A Teoria do Direito Tridimensional é baseada na ideia de que o direito é composto por três elementos interdependentes: fato, valor e norma.

Caso Queira Fazer o Download do Livro Original clique na imagem abaixo:

Em conjunto, essas três dimensões formam o Direito Tridimensional, que é uma abordagem mais completa e abrangente para entender o direito em sua totalidade.

A dimensão fática (fato) do direito está relacionada aos fatos sociais e históricos que influenciam a criação e aplicação das normas jurídicas. Ela considera a realidade concreta em que as normas são aplicadas e como as pessoas interagem dentro dessa realidade.

A dimensão axiológica ou de valor é a dimensão dos valores e princípios que fundamentam o direito. Ela considera a ética e a moralidade que devem guiar a aplicação das normas e a conduta dos indivíduos em relação ao direito.

Por fim, a dimensão normativa ou jurídica se refere às normas jurídicas que regulam a conduta humana e as relações sociais. Ela considera a estrutura legal e institucional do sistema jurídico e como as normas são criadas, interpretadas e aplicadas pelos operadores do direito.

mapa mental de Teoria tridimensional do Direito

Na prática, a tridimensionalidade do direito pode ser aplicada de diversas maneiras.
Por exemplo: Em uma decisão judicial, um juiz pode considerar não apenas as normas jurídicas aplicáveis ao caso, mas também os fatos sociais e históricos que levaram à criação dessas normas, bem como os valores e princípios que fundamentam o sistema jurídico. Isso permite que o juiz tome uma decisão mais justa e equilibrada, considerando todos os aspectos relevantes do caso.

Outro exemplo é na elaboração de novas leis. Os legisladores podem considerar não apenas as necessidades práticas que motivam a criação da lei, mas também os valores e princípios fundamentais do sistema jurídico e os fatos sociais e históricos que levaram à necessidade da nova lei. Isso ajuda a garantir que a lei seja consistente com os princípios fundamentais do sistema jurídico e seja adaptada à realidade social em que será aplicada.

Além disso, a tridimensionalidade do direito pode ser aplicada na análise crítica do sistema jurídico em geral. Ao considerar as três dimensões – fática, axiológica e normativa – é possível avaliar a eficácia do sistema jurídico como um todo, bem como identificar áreas em que podem ser necessárias mudanças ou melhorias para garantir a justiça e a equidade em sua aplicação.

Leia também: As 3 Fases do Direito

A compreensão da tridimensionalidade do direito é fundamental para o estudo e a prática do Direito na faculdade.
Primeiramente, a tridimensionalidade do direito ajuda a entender que o direito não é apenas um conjunto de normas, mas sim um sistema complexo que envolve diferentes dimensões interdependentes. Isso é essencial para desenvolver uma visão mais ampla e crítica do direito, além de ser um pré-requisito para o desenvolvimento de habilidades jurídicas como argumentação, interpretação e resolução de problemas.

Além disso, a compreensão da tridimensionalidade do direito é importante para entender como o direito se relaciona com outros campos do conhecimento, como a filosofia, a sociologia e a história. Isso permite que os estudantes de direito compreendam as raízes históricas e as influências culturais que moldam o sistema jurídico e as normas que o regem.

Leia também: Direito positivo e natural

Por fim, o Direito Tridimensional é fundamental para entender a aplicação prática do direito na sociedade. Os estudantes de direito que compreendem as três dimensões do direito têm uma visão mais ampla e crítica da realidade social e jurídica em que vivem, e estão mais preparados para enfrentar os desafios e as demandas do mercado de trabalho jurídico.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui